quinta-feira, 8 de agosto de 2013

VARANDAS DO MONTIJO

O "luxo" e o "lixo"

Com a construção da Ponte Vasco da Gama, Montijo assistiu a um surto de construção que deu origem a uma nova cidade, com cerca de dez mil habitantes. Entre as novas urbanizações destacou-se as Varandas do Montijo, apresentada como habitação para os estratos sociais com melhores proventos. 

Os novos moradores foram seduzidos pela qualidade de construção, pelas infra-estruturas, pelos espaços públicos e demais mobiliário urbano, que era então disponibilizado.

A pacatez do lugar, a segurança que, apesar de tudo, Montijo ainda vai oferecendo e o modo fácil como se alcança Lisboa sopesaram também na opção de compra de um andar nas Varandas de Montijo.

Os urbanizadores esmeraram-se na apresentação do bairro. Rodearam-no com palmeiras, juntaram-lhe outras árvores frondosas e espaços verdes, assim como diverso mobiliário urbano. 

Concluída a construção, vendidos os fogos e entregue a conservação do espaço público à Câmara Municipal de Montijo revelou-se, então, o buraco, que urge solucionar.

Zona pedonal e espaço verde (?)

Espaço Verde (?) 2
Polidesportivo. Quem é o/a proprietário/a? Quem o gere? Quem o conserva?

Prédio com vista para o contentor


Junto às Varandas do Montijo e das outras urbanizações vizinhas está a obra inacabada de um hotel, sem protecção lateral e de fácil acesso para as crianças, com todos os riscos e perigos que lhe são imanentes.

Sem comentário


Que fazer?
Perigo?



A situação em que se encontram as Varandas do Montijo e tantas outras urbanizações revelam à saciedade a incompetência do executivo camarário, que não soube acautelar o crescimento da cidade nem dotou os serviços com os meios necessários para responder às novas necessidades, solicitações e exigências. É a incompetência de um executivo marcado pelo nepotismo que faz soçobrar Montijo.


Ruky Luky

2 comentários:

  1. Deste espaço, e do matagal, que se continuar a crescer pode ser um lugar paradisíaco, pode resultar um título, na mesma linha do original, que poderia ser "A lixeira e a luxúria".

    ResponderExcluir